click at this page Como localizar telefone e endereço Rastreador gps para celular download click the following article read more Como localizar Sistema Apps espiao para windows phone Baixar programa Reviews on mobistealth Espia de celulares para blackberry Aplicativos espiao gratis Mobile spy no jailbreak read more Spy app without target phone Rastreador de Espionar celular gratuito more info Aplicativo para rastrear celular pelo numero Como puedo Como espionar conversas do whatsapp de outra pessoa Rastrear celular samsung galaxy young Rastrear iphone Download spybubble trial version Como rastrear un celular entel Programa Free iphone Iphone 6s imessage spy Descargar Como funciona Aplicativo de rastreamento para o celular Camara click see more Software espião Como rastrear meu celular samsung galaxy young Como espiar telefonos celulares gratis Www spybubble android 4 radio apk Rastrear Escuta telefonica para celular spy camera phone charger zeus keylogger download erfahrungen handyortung kostenlos

Onda Latina

terça
22.Set 2020
Início seta Letras e livros seta Livros seta A poesia de Sandra Ciccone Ginez em Pequenas Revoluções
A poesia de Sandra Ciccone Ginez em Pequenas Revoluções PDF Imprimir E-mail
Escrito por Redação   
23-Mai-2009

convitepequenasrevolucoes.jpgA editora Terceira Margem está lançando go here Pequenas Revoluções, livro de poesia de Sandra Ciccone Ginez, na próxima quarta-feira, a partir das 18h30, na livraria Martins Fontes na Avenida Paulista.

Leia abaixo o texto de orelha do livro:

  ticpodedo.tk A cidade não é o personagem central ou um mero pretexto para se falar de nossa condição errática e desfigurada neste livro de estreia de Sandra Ciccone Ginez, recurso que vem se tornando corriqueiro na poesia brasileira contemporânea. Ao contrário dessa tendência, o que se tem aqui é um diálogo muito delicado, e fértil em sutilezas, tramado com cenas e personagens urbanos a partir da sensibilidade escancarada da autora.

A inversão é interessante, pois há uma voz poética que perscruta as contradições e as misérias do cotidiano, que trafega por avenidas e percebe que os cruzamentos guardam mais revelações de nossa humanidade perdida do que se poderia supor na pressa da mudança de cores no semáforo. Sandra não quer inventariar violências, mas as introjeta como um café amargo, tomado numa tarde efêmera de outono, quando as cores do céu se confundem com as luzes fantasmagóricas de letreiros, postes e fachadas.

A cidade vai se revelando, tímida ou cruel, nos apontamentos da poeta, nos "ruídos líquidos", no "pensamento aterrado nos vazios", no "ar com prazo expirado", "nos corredores ascéticos", ou nos "respingos de um mergulho-rio reproduzido na impressora". As imagens refluem desse rio interior, profundo, que vai cortando o leito da vida e acumulando dejetos, visões, frases perdidas, lembranças e medos, que, tocados por um modo novo de olhar, podem causar pequenas e irreversíveis mudanças em qualquer um de nós, leitores.

            O lirismo foi acossado por muitos métodos ao longo do século XX a ponto de se transformar numa aberração. Nomear o "eu" pode parecer um exercício retórico, ou mesmo um gesto saudosista, sem eficácia num mundo de dissecações neurológicas e de planejamentos estratégicos. No entanto, os poemas de Sandra insistem em expor uma voz singular, que indaga, que protesta discretamente, que registra uma inquietação solitária, mas contagiante. Sem medo ou pudor, a autora deixa claro o que sente sobre os caminhos que nos são impostos, sobre as condições que nos tornam insensíveis à dor alheia, ao isolamento, à perda de sentido das relações pessoais, do respeito à humanidade e à natureza.

            As pequenas revoluções de que tratam os poemas deste livro nascem de uma angústia com os grandes planos, uma espécie de obsessão doentia que acomete os poetas. Para estes, há sempre um rumo inesperado a seguir, uma realidade diversa a explorar, uma palavra a guinar a trajetória do verso e da existência. E o poema se constrói a partir desse choque da sensibilidade aguçada do poeta com o real e com o outro, contaminando o espaço público.

            Sandra enfrentou com ousadia o desafio do primeiro livro, abrindo sua intimidade para o estranhamento do presente, sem cair na denúncia e no documental, mas acolhendo em seus poemas os fragmentos de uma história feita de subjetividades conflitivas.

             

enter site Pequenas revoluções

Sandra Ciccone Ginez

Lançamento no dia 27 de maio, das 18h30 às 21h30.

Livraria Martins Fontes

Avenida Paulista, 509

Tel. (11) 2167-9900.  

Atualizado em ( 23-Mai-2009 )
 
< Anterior   Seguinte >