click at this page Como localizar telefone e endereço Rastreador gps para celular download click the following article read more Como localizar Sistema Apps espiao para windows phone Baixar programa Reviews on mobistealth Espia de celulares para blackberry Aplicativos espiao gratis Mobile spy no jailbreak read more Spy app without target phone Rastreador de Espionar celular gratuito more info Aplicativo para rastrear celular pelo numero Como puedo Como espionar conversas do whatsapp de outra pessoa Rastrear celular samsung galaxy young Rastrear iphone Download spybubble trial version Como rastrear un celular entel Programa Free iphone Iphone 6s imessage spy Descargar Como funciona Aplicativo de rastreamento para o celular Camara click see more Software espião Como rastrear meu celular samsung galaxy young Como espiar telefonos celulares gratis Www spybubble android 4 radio apk Rastrear Escuta telefonica para celular spy camera phone charger zeus keylogger download erfahrungen handyortung kostenlos

Onda Latina

segunda
03.Ago 2020
Início seta Telas & Palcos seta Cinema seta Memorial da América Latina apresenta Ciclo de Debates sobre Filmes Latino-americanos
Memorial da América Latina apresenta Ciclo de Debates sobre Filmes Latino-americanos PDF Imprimir E-mail
Escrito por Divulgação   
16-Ago-2014

el_exilio_de_gardel_tangos.jpgO Ciclo de Debates sobre Filmes Latino-americanos está estruturado em doze encontros, sendo cada um deles dedicado a um filme, que será exibido e posteriormente comentado e debatido com a participação de um convidado. Durante os encontros serão abordadas as vertentes
clássica, moderna e contemporânea do Cinema Latino-americano em um trajeto permeado pelas teorias e projetos revolucionários desenvolvidos por cineastas latino-americanos. Através das análises dos filmes e dos debates será possível refletir sobre os aspectos históricos que repercutiram na configuração destas obras cinematográficas e sobre a forma como elas produzem e articulam visões sobre o passado e/ou o presente.

Os debates são autônomos, por tratarem de filmes com temáticas diferentes, mas dialogam entre si através da contextualização teórico e crítica das noções políticas e estéticas imbricadas na configuração do Cinema da América Latina. A partir destas referências teóricas serão discutidas as representações latino-americanas, presentes nos filmes apresentados, e historicamente construídas neste cinema. Se de um lado, as teorias e críticas nos permitem uma abordagem mais aprofundada das obras analisadas, de outro, essas representações nos instigam a refletir sobre os conceitos de cinema e de políticas que elas constroem.
Esta associação das representações latino-americanas à política deste cinema suscita uma análise voltada às estratégias, estéticas e narrativas, desenvolvidas por seus diretores para a elaboração de seus conteúdos. Discutir estas representações em diferentes períodos e através de diferentes leituras objetiva ampliar o arcabouço crítico dos espectadores para um melhor entendimento destas novas estéticas e de suas relações com a atual política do cinema da América Latina.

Programação:

Dia 21

16h. – Tangos, o Exílio de Gardel (Fernando Solanas, Argentina, França, 119min.,1985) Paris, década de 1970. A cidade é o cenário do filme e espaço de vivência de um grupo de argentinos exilados que organizam uma peça teatral, homônima do filme, sobre um tema que faz parte de suas vidas: a ditadura na Argentina. Debate com Ana Laura Lusnich - Profa. Dra. da Universidade de Buenos Aires e Investigadora do Conselho Nacional de Investigações Científicas e Técnicas.

19h. – Rocha que voa (Eryk Rocha, Brasil, 94 min., 2002). Considerado por Carlos Alberto Mattos como um ensaio poético-político, o documentário trata de um momento pouco conhecido da vida do líder do movimento Cinema Novo, Glauber Rocha, em seu exílio em Cuba entre 1971 e 1972. Debate com Eryk Rocha – Cineasta, cujos principais trabalhos constam: Rocha que voa (2003), Pachamama (2009), Transeunte (2011) e Jards (2013).

Dia 22

16h. – Actas de Marusia (Miguel Littín, México, 110min., 1976) Chile, agosto de 1907. Mineiros de Marusia, uma província chilena, entram em greve contra as péssimas condições de trabalho. A história, apesar de ambientada no começo do século XX, coteja com o momento da ditadura militar no Chile. Debate com Afrânio Catani – Professor na Faculdade de Educação da USP e presidente da Sociedade Brasileira de Estudos de Cinema e Audiovisual.

19h. – Whisky (Juan Pablo Rebella e Pablo Stoll, Uruguai, 99 min. 2004). Filme marcado pelas sutilezas. Poucas falas e uma câmera fixa. A obra uruguaia trata da história de Jacobo, um homem de 60 anos e dono de uma pequena fábrica de meias. Marta, supervisora de sua fábrica, finge ser sua esposa em prol de uma disputa entre irmãos. Debate com Ilana Feldman - Pesquisadora, crítica e realizadora. Pós-doutoranda no Instituto de Estudos da Linguagem da Unicamp.

Dia 23

16h. – Las Banderas del Amanecer (Jorge Sanjinés, Beatriz Palacios, Bolívia/Equador, 76min., 1982). O documentário apresenta uma Bolívia marcada pelas tentativas de golpe de Estado, grandes mobilizações campesinas, estudantis e trabalhistas. Entre ficção e documentário, o filme desenvolve questionamentos a partir de entrevistas com a população.
Debate com Yanet Aguilera - Profa. Dra. do curso de História da Arte da Unifesp. Coordena o Grupo de estudos Cinema Latino-Americano e Vanguardas Artísticas.

19h. – Memórias do Subdesenvolvimento (Tomas Gutiérrez Alea, Cuba, 97min.,1968). Sérgio é um homem de 38 anos pertencente à classe média e que vive o contexto da Revolução Cubana. O personagem busca compreender os rumos que o país está tomando. Desta maneira o filme se transforma numa crítica de seu tempo. Debate com Mariana Villaça – Profa. Dra de História da América na Unifesp. Autora de Cinema Cubano: revolução e política cultural (Alameda, 2010).

Dia 28

16h. – São Paulo Sociedade Anônima (Luis Sérgio Person, Brasil, 11min., 1965). Inserido em um contexto importante da história do cinema brasileiro, o filme aborda o espaço urbano e o homem da cidade como temas centrais. Traça a trajetória de Carlos, um jovem da classe média paulistana em plena década desenvolvimentista do país. Debate com Sérgio Alpendre - Crítico colaborador da Folha de S.Paulo desde 2008. Coordenador do Núcleo de História e Crítica da Escola Inspiratorium.

19h. – Soy Cuba, o Mamute Siberiano (Vicente Ferraz, Brasil, 90 min. 2005) Na década de 1960, o diretor soviético Mikhail Kalatozov e sua equipe estiveram em Cuba para realizar um filme sobre a Revolução Cubana. A produção e recuperação deste filme é contada por este documentário que constrói parte da história do cinema. Debate com Rubens Machado Jr. - Pesquisador, crítico e Prof. Dr. de cinema na Escola de Comunicações e Artes da USP.

Dia 29

16h. – Cobrador (Paul Leduc, Argentina/Brasil/Espanha/México/Reino Unido, 96min., 2004). Baseado na obra homônimade Rubem Fonseca, o filme trata de várias histórias de violência que se cruzam a partir de um personagem que se transforma em um matador para se vingar da sociedade. O longa-metragem propõe uma crítica ao mundo globalizado. Debate com Sérgio Rizzo - Jornalista, pesquisador e professor na pós-graduação da FAAP e da PUC-SP, no MIS e na Academia Internacional de Cinema.

19h – De jueves a domingo (Dominga Sotomayor, Chile/Holanda, 96min., 2012). Entre os dias de quinta-feira e domingo, um casal e seus dois filhos viajam de Santiago até o Norte do Chile para uma visita familiar. Na estrada, os problemas de um casamento em crise passam a fazer parte do trajeto.

Dia 30

Debate com Cléber Eduardo. Prof. do curso de Audiovisual do Centro Universitário Senac, e curador da Mostra de Cinema de Tiradentes desde 2007.

16h. – Pelo Malo (Mariana Rondón, Venezuela, 93min., 2012). Em um cortiço localizado em Caracas, vive Júnior, um garoto de nove anos que luta para alisar seu cabelo encaracolado. Seu intuito é parecer-se com um cantor de sucesso. Mais que a história de um garoto, a trama toca em temas polêmicos como o machismo e o racismo.
Debate com Cecília Mello - Profa. Dra. de cinema na Escola de Comunicações e Artes da USP e pesquisadora FAPESP na Unifesp.

19h. – Entre Vales (Philippe Barcinski, Brasil, 90min., 2012). Vicente é um economista que realiza análises de aterros sanitários. Vive com sua esposa Marina e seu filho Caio. O casamento está em declínio e suas motivações consistem na companhia do garoto e em uma nova proposta de um aterro. Um acidente com seu filho muda o rumo de sua vida. Debate com Philippe Barcinski - Diretor, roteirista, produtor e professor. Dirigiu os filmes Entre vales (2012), Não por Acaso (2001), entre outros trabalhos.


Todos os debates serão mediados por Daniela Gillone - Professora e pesquisadora de cinema com pós-doutorado pela ECA-USP. Ministrou cursos de cinema latino-americano no MIS e no Memorial da América Latina.

Mostra e Ciclo de Debates sobre Filmes Latino-americanos.
Dias 21, 22, 23 – 28, 29 e 30 de agosto.
Sessões seguidas de debates às 16h e às 19h.
Local: Biblioteca Latino-Americana Victor Civita
Fundação Memorial da América Latina
Entrada gratuita


www.cinedebate.org 

Fonte: Daniela Gillone.

 

Atualizado em ( 16-Ago-2014 )
 
< Anterior   Seguinte >