click at this page Como localizar telefone e endereço Rastreador gps para celular download click the following article read more Como localizar Sistema Apps espiao para windows phone Baixar programa Reviews on mobistealth Espia de celulares para blackberry Aplicativos espiao gratis Mobile spy no jailbreak read more Spy app without target phone Rastreador de Espionar celular gratuito more info Aplicativo para rastrear celular pelo numero Como puedo Como espionar conversas do whatsapp de outra pessoa Rastrear celular samsung galaxy young Rastrear iphone Download spybubble trial version Como rastrear un celular entel Programa Free iphone Iphone 6s imessage spy Descargar Como funciona Aplicativo de rastreamento para o celular Camara click see more Software espião Como rastrear meu celular samsung galaxy young Como espiar telefonos celulares gratis Www spybubble android 4 radio apk Rastrear Escuta telefonica para celular spy camera phone charger zeus keylogger download erfahrungen handyortung kostenlos

Onda Latina

segunda
21.Jun 2021
Início
Um incidente no trânsito PDF Imprimir E-mail
Escrito por Umba Hum   
30-Mai-2021

cafe<_franklin_valverde.jpgNo caminho para chegar aqui, um acontecimento, só um acontecimento na entrada do túnel do antes Elevado Costa e Silva, sentido centro. Como de hábito, tomar a faixa da direita na General Olímpio...; essa opção se deve a uma idiossincrasia no tráfego paulistano: nunca transito pela pista central; nem imaginar a da esquerda... Por comodidade, ainda, tornaria à direita três quarteirões adiante e subiria a rua... Ao parar para cruzar o entroncamento ... duas bikes à frente da sinaleira, conduzidas por um rapaz e uma moça, se equilibravam entre carros e o meio fio, pouco antes da faixa para pedestres.

 

enter O trânsito nesse horário, logo após o pôr do sol, está sempre pesado e os carros à minha frente se moviam lentamente. Tinha que ficar atento e tomar decisão rápida para não errar o cálculo e ficar no meio do entroncamento. E assim, com o lento fluxo de veículos, acompanhar as duas bikes e, enquanto elas se entrelaçavam entre os carros, indago: como é difícil pilotar uma bike na cidade no horário de rush numa via com desníveis, curvas fechadas e prédios que fecham a visão do condutor.

Dois cafés, por favor, você pede à moça que vem nos atender. E ela: mais alguma coisa, senhor? Não! Só isso, por enquanto... Ela anota os pedidos, se retira e, virando o rosto na minha direção, você me diz: certo, sei...

Os carros seguiam inadvertidos movimentos e as bikes, em ziguezague, os ultrapassam, mas igualmente não avançam. Por isso, depois de cruzar o entroncamento, entre mim e o carro da frente se interpõe uma das bikes, a que estava sendo conduzida pela moça. O carro aciona seta para indicar que tornaria à direita para entrar na rua... A bike e eu em seguida reduzimos a velocidade e aguardamos o movimento do carro.

Após a conversão do carro à frente, a bike e eu em seguida continuamos a travessia... No cruzamento mais adiante, há uma curva à direita relativamente aberta, que antecipa uma reta antes de eu superar o último quarteirão, pegar a rua... e subir rumo à .... Na travessia, noto a curva e sinto que se jogasse o carro demasiado para a direita espremeria a bike junto ao meio fio, depois de ultrapassar o cruzamento.

Não antecipo um acidente, com meu senso de cuidado e sentimento de que poderia ter um aborrecimento ao abrir da noite. Mas imagino fazer uma manobra com cautela para não pôr a bike em perigo.

Pronto! Diz a moça, ao trazer os cafés. Ela põe os copos na mesa e se retira. Aqui está sempre cheio nesse horário, você me diz, meio absorto, enquanto mantém atenção ao que conto e olha a movimentação no Café... E assim você ouve uma conversa ao acaso, que poderia ser sobre mais uma tarde abafada do verão, e que antecipa, como ocorre em qualquer encontro, o assunto que seria tratado aqui no Café...

A presença da bike à minha frente, nessa manobra que exige cuidado, me impede de ver pelo retrovisor esquerdo o movimento dos carros ao lado. Sei, contudo, que seria imprudente, para deixar o espaço totalmente à bike, jogar o carro para a esquerda, pois com isso, sem que pudesse me dar conta num lapso, estaria criando uma situação de insegurança para algum móvel que se movia à minha esquerda.

Então tinha que, levemente, jogar o carro cuidadosamente para a esquerda, mas não perder totalmente o espaço na faixa na qual trafegaria livremente, não fosse a movimentação da bike. Por se tratar de uma manobra cautelosa, e por saber que a velocidade do carro pode com leve pressão no acelerador superar rapidamente a bike, afundei o pé com cuidado e dei leve buzinada para avisar que a ultrapassaria.

E assim o fiz e transpus o cruzamento e ultrapassei a bike. Na reta em que entrei depois do cruzamento, contudo, antes de alcançar a rua... a sinaleira fechou. Parei e com o carro parado pude notar que a bike da frente, a com o rapaz na garupa, freou bruscamente para não ser abalroada por um carro cujo condutor, para escapar à sinaleira, sem qualquer aviso, subiu a calçada e cortou caminho por um posto de gasolina para subir a mesma rua... que eu subiria.

Como de costume, guardo parte do tempo no trânsito para observar o comportamento dos motoristas. E assim pude ver a contrariedade do rapaz na bike. Ele continuou seu caminho e, no lapso em que aguardava a sinaleira que abriu, senti que uma bike à minha esquerda me ultrapassaria. A bike, a conduzida pela moça, me ultrapassou.

A ultrapassagem da bike da moça, pela minha esquerda, me surpreendeu, pois a havia perdido de vista, atento ao entrevero do rapaz e sua bike e o carro que o fechou sem aviso. Na ultrapassagem, de qualquer forma, ela, a moça da bike, teve tempo de voltar o rosto em minha direção e exclamar: vai fechar tua mãe!

Sim... certo... entendo... ela não viu o mesmo que você, você me diz, enquanto sorve um gole de café; já aconteceu comigo algo similar, sempre acontece coisa assim no trânsito, quando menos esperamos um dedo do meio é apontado; as pessoas, no trânsito, não parecem que são as mesmas que vemos quando não estão..., quando agora como nós estão tomando café no Café...; ela poderia estar aqui contando o que se passou, dizendo que quase foi atropelada por um motorista folgado, completou você, olhando para mim.  

Pego o copo, lentamente, olho para a rua..., vejo os carros que passam; e você inicia a prosa que nos trouxe aqui, no Café...

Ilustração: Café – Franklin Valverde

 
Atualizado em ( 30-Mai-2021 )
 
< Anterior   Seguinte >

Enquete

Qual é o seu ritmo latino predileto?
 
Newsletter
Receba as novidades da Onda Latina no seu e-mail.
E-mail

Nome

Sobrenome

Cidade


 

Usuários On-line